Farfetch: o unicórnio com prejuízo

20 Novembro 2017

 

A Farfetch, empresa de comércio electrónico de comércio de luxo, liderada por José Neves, desde que nasceu em 2007, não só nunca teve nenhum ano com resultados líquidos positivos como, nestes últimos 10 anos, acumulou prejuízos de 98 milhões de euros.

Com a Amazon, que vendeu o primeiro livro pela Internet em 1995 e que também, até aos dias de hoje, ainda não conseguiu fechar um exercício com qualquer valor de superavit económico ou financeiro. Ambas, contudo, não obstante a situação descrita, têm visto o seu valor de mercado aumentar para níveis estratosféricos, como por exemplo, a Farfetch, considerada o primeiro unicórnio português, pois foi avaliada em mais de mil milhões de euros.

Porém, e não obstante esta similitude entre a Farfetch e a Amazon, há algo que as separa profundamente, isto é, a empresa portuguesa faturou em 2016, pouco mais de 600 milhões de euros enquanto a Amazon, no mesmo ano, faturou mais do dobro – 124 mil milhões de euros - atingindo o segundo lugar no ranking mundial, chegando ao segundo lugar deste ranking, logo após o líder mundial, a WalMart.